Nossa foto de hoje infelizmente foi escaneada de uma péssima publicação e não tem boa nitidez, embora seja relativamente grande.

Mas mesmo sendo mais ou menos precária mostra já nos anos 50 o bairro que sumiu do mapa a partir dessa época, embora já estivesse condenado, em compasso de espera desde o decreto de criação do Bairro Cidade  pelo govenro do Estado Novo. Era uma região ainda com vida, mas com todos os imóveis gravados como de “utilidade pública para fins de desapropriação” e por isso congelados e sem liquidez, aos proprietários restava mantê-los conservados, sem investir grandes somas, ou esplora-los até o bagaço, como aliás foi feito por muitos.

A densidade do casario, inclusive com prédios de 3, 4 e 5 andares, imóveis comerciais e residenciais nos faz imaginar como seria essa região antes da destruição da Praça Mauá, logo ali atrás e a desarticulação das duas metades do bairro para os lados da R. Marquês de Pombal, embora fisicamente, pelo menos até aí esa parte tenha sido fisicamente a menos atingida, mas iniciava-se a sua forçada decadência.