Nossa imagem de hoje possivelmente do final dos anos 50 mostra um dos mais deslumbrantes cenários naturais da cidade e também uma de suas maiores “caveira de burro” o esqueleto inconcluso dogigantesco Gavea Tourist Hotel, possivelmente também um dos grandes golpes por cima de investidores individuais já perpetrados na nossa cidade.

O Gavea Tourist, incorporado pela Califórnia Investimento foi financiado por mais de onze mil quotistas que compraram títulos do empreendimento com a garantia de ter o privilégio de se hospedar X dias por ano, de graça, no hotel quando pronto. O que nunca ocorreu tendo se transformado em uma grande pirâmide.

Com a construção inciada em 1952 o prédio rapidamente teve suas estruturas erguidas, e os trabalhos de acabamento chegaram inclusive ser inciados, há alguns bons anos atrás víamos ao passar pela Estrada das Canoas que um grande grupo de apartamentos na parte superior central do prédio chegou a ganhar massa corrida na parede. Bem como um dos grupos de elevadores também foi instalado e operou viabilizando o funcionamento da boate Sky Terrace em sua cobertura.

No meio dos anos 60 a operação começou a fazer água e novas quotas eram oferecidas como forma de capitalizar ainda mais dinheiro para o término da obra, mas a fama de grande golpe já estava sacramentada. Sendo que as construção foi paralizada em 1972,  quando o prédio estava praticamente pronto, faltando apenas o acabamento. Em 1977 a Califórnia quebrou de vez ficando o prédio perdido nos meandros da burocracia da justiça falimentar inciando então seu ciclo de abandono, que se agravou enormemente na última década com a mata atlântica cercando a construção e os anos de falta de manutenção cobrando um alto preço. O prédio está tomado de infiltrações, com certeza a água que cai em seu terraço, chega pela estrutura até o pilotis, os elevadores e instalações que já estavam operativas ou se perderam ou foram roubadas, placas de revestimento nas colunas dos primeiros pisos desabaram pelas infiltrações e em vários vãos vemos, mesmo de longe as ferragens já expostas, demonstrando que é uma construção muito doente.

Como o prédio foi locação recorrente de vários filmes nacionais, desde os anos 60, chegando a filmes da “retomada” como o interessante “Faca de Dois Gumes” podemos muito bem acompanhar a decadência física do prédio.

Certamente o resultado da hasta pública realizada na segunda passada tem ainda conclusão nebulosa, pois arrematou uma empresa de “eventos” sediada na capital federal, o que cheira a uma grande operação cítrica, ou de lavagem monetária. E que poderá não ter numerário suficiente para quitar o quantum pedido pela justiça…….a novela continua…..