Nessa fantástica imagem nos enviada pelo Carlos Ponce de Leon de Paiva vemos a região do Posto II em seu início de processo de verticalização, sendo a imagem possivelmente de 1930/32.

A pedra do Inhangá  mesmo já desbastada no início da década de 10 para a retificação do traçado da primeira Av. Atlântica ainda com 6 metros de largura ainda chegava não só a calçada, mas também no local hoje ocupado por parte da pérgula e piscina do Copacabana Palace, junto a pedra vemos o cercamento típico das propriedades dos Duviver, como também cercava a casa da família mais a frente, a época única construção do quarteirão entre as Ruas Duvier, Rodolfo Dantas e Avs Copacaban e Atlântica. Vemos que, segundo fontes da família, o elevador interno da construção já havia sido instalado, que resultou na perda do telhado em forma de torreta da construção.

Mais a frente vemos, estalando de novo, o Ed. Abreu, de linhas moderníssimas para sua época, demolido no início dos anos 80, encoberto vemos o pioneiro Ed. Palacete Atlântico, construído na primeira metade dos anos 20 e posto ao chão no meio da década de 70 ( http://www.rioquepassou.com.br/2005/10/06/ed-palacete-atlantico-ii/ ).

Dominando o horizonte temos o Ed. Ribeiro Moreira, também conhecido como Ed. OK com sua volumeteria totalmente original, inclusive nas janelas do último andar. Por de trás do segundo poste vemos tenuamente que mais um prédio sobe, arrisco que possa sero o Casa Rosada na Av. Copacabana quase esquina com a R. Belfort Roxo.

Por fim vemos que a fachada do Copacabana Palace ao longo desses quase 90 anos sofreu mudanças, notadamente no seu coroamento, bem como perda de relevos na fachada além da já falada modificação de sua pérgula ocorrida no início dos anos 40.