Muitos se perguntam o porque do pequeno trecho da Praia da Barra ser chamado de “Postinho”, alguns associam ao antigo circuito de automobilismo do bairro e ao antigo Posto da Esso que existia no local.

Mas o apelido faz jus a algo bem mais antigo, um velho posto de salvamento art-déco, como os da Zona Sul, construídos ao longo dos anos 30 a 40 nas praias de Copacabana, Ipanema e Leblon. A construção do posto da Barra é um pouco incerta, mas possivelmente data dos anos 40, quando a ponte ligando a Barrinha ao litoral foi construída e a única via pavimentada, em paralelepípedos era a Av. Olegário Maciel, dando acesso direto para a praia.

Por muito anos foi o único ponto de assistência dos Guardas Vidas em toda a orla, ficando perdido no meio da vegetação de restinga, o asfalto que vemos no foto, hoje está dentro da Praça Jornalista Mário Filho, que por muito anos vez parte da Av. Sernambetiba, inclusive ainda mantendo parte do caimento do relevê da pista de corridas.

Por ficar perdido no meio da restinga, sem nenhum arrocamento o velho posto de salvamento foi atingido por pelos menos 2 fortes ressacas, sendo a mais grave a de 1963, onde ele ficou literalmente no meio do mar por alguns dias por a força da ressaca praticamente eliminou a areia da praia, e terminou o estrago de uma ressaca do ano anterior onde toda a infra-estrutura já tinha sido arrasada pelas ondas.  No final da década o velho postinho (como era conhecido pelos frequentadores) estava condenado, inclinado em direção ao mar, com ferragens expostas e prestes a desabar, tendo sido demolido e substituído por um pequeno Centro de Afogados, como o executado no Posto VI, que substituiu o original dos anos 20 da Praça do Lido.