Em julho desse ano postamos uma imagem da Rua do Gal. Câmara em 1920 onde víamnos um teimoso sobrado ainda no alinhamento colonial, não obstante passados mais de 10 anos das obras de Passos que requalificaram a via ( http://www.rioquepassou.com.br/2011/07/04/rua-gal-camara-1920/ ).

Na nossa imagem de hoje, 11 anos após o post acima mencionado vemos que a desaparecida rua guardava mais de um caso, além do mostrado. A imagem de hoje, mostra a movimentação de carnaval de 1931 em um trecho não identificado. Não apenas um sobrado mas na nossa imagem de hoje vemos dois sobrados que mantinham o alinhamento original da rua da época doBrasil Colônia, vemos inclusive em uma de suas divisas a cicatriz de uma velha casa térrea demolida no período Passos, o que indica que esses imóveis, já sendo ecléticos, foram levantados pouquíssimo tempo antes do alargamento da via, o que com certeza disparou alguma batalha judicial, que certamente se arrastava, pois a prefeitura há época possivelmente se recusava a indenizar pelo valor pretendido ou por possíveis benfeitorias nos imóveis.

Se na imagem de Julho, Malta fotografava com intuíto administrativo, identificando como era seu costume a rua, o número e o proprietário do imóvel, na foto de hoje apenas comemorativa ficamos sem uma correta localização do trecho mostrado. Vemos tipos populares, ainda comuns nessa zona comercial e árabe-judáica por tradição, como o vendedor de doces e suas vitrines suspensas nos ombros, alinhado com o poste. Parece estarmos em uma esquina que apenas chega, e não ultrapassa a Gal Câmara, especulo ser a pequena via hoje chamada de Rua Armando Sales de Oliveira, uma pequena travessa entre as Ruas dos Andradas e da Conceição.